Semente salva: porque não usar

Semente salva: entenda quais os motivos para não utilizar semente salva na sua propriedade.

No texto de hoje vamos entender um pouco mais sobre as sementes piratas e porque você deve se preocupar com a procedência da semente utilizada na sua propriedade.

As sementes piratas são vendidas no mercado informal e por isso não tem certificação.

Já falamos aqui no blog sobre a importância do uso de sementes certificadas, você pode conferir neste link.

Mas então eu não posso utilizar sementes salvas em minha propriedade?

Você pode salvar suas sementes, porém é preciso fazer tudo conforme a legislação.

Entretanto, ao fazer uso de sementes não certificadas na sua lavoura, você estará correndo o risco de ter sérios problemas com plantas daninhas, pragas, doenças, entre outros fatores que afetam a produtividade.

Lembre-se, que uma semente que é comercializada de forma ilegal não possui garantias do controle de qualidade, das fiscalizações e vistorias.

Neste link você pode conferir todas as etapas de produção de sementes que os produtores precisam seguir para garantir a qualidade do que você está comprando.

Outro grande problema que você pode ter ao comprar uma semente pirata é acabar adquirindo uma cultivar diferente, além de problemas fitossanitários e baixa germinação das sementes.

Redução média da produtividade obtida em parcelas de algodão nas regiões de São Desidério (BA), Sapezal (MT), Brasnorte (MT), Sorriso (MT), Alto Taquari (MT) e Diamantino (MT) atacadas pelo curuquerê-do-algodão (Alabama argillacea) com diferente composição varietal de algodão Bt e não Bt. Fonte: Bayer S.A.

Grande parte das sementes piratas vem de sementes salvas que são multiplicadas e vendidas ilegalmente por produtores, que vendem o excedente que não foi utilizado em sua propriedade.

As culturas da aveia, do trigo, da soja e do milho são as mais afetadas por sementes piratas e acabam perdendo em qualidade e produtividade.

As sementes certificadas tem vários benefícios como:

  • fiscalização durante o processo de produção;
  • a produção de sementes é feita por produtores autorizados, que estão cadastrados no Renasem (Registro Nacional de Sementes e Mudas);
  • os campos de produção de sementes certificadas devem seguir normas do MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento);
  • é feito o controle da qualidade durante todo o processo de produção;
  • garante pureza varietal;
  • controle de pragas e doenças;
  • vistorias para controle de propágulos de plantas daninhas.

Todos os benefícios listados acima do uso de sementes certificadas não podem ser citados para o uso de sementes piratas.

 Número de grãos por planta e produtividade de plantas obtidas a partir de sementes salvas e certificadas em diferentes cultivares de soja. Safra 2017/2018. BB: semente salva; CERT: semente certificada. Fonte: Maculan (2018).

Entre os problemas do uso de sementes piratas está a mistura de cultivares.

Quando há mistura de cultivares, você poderá ter problemas com os manejos, pois as cultivares têm diferenças no ciclo de desenvolvimento.

Ao ter problemas com diferenças no ciclo desenvolvimento das plantas, fica difícil acertar o melhor momento para os manejos, pois as plantas estarão em fases distintas.

E, quando não conseguimos realizar os manejos de forma correta, nas fases do ciclo da cultura, consequentemente teremos queda de produtividade.

Outro problema relacionado ao uso de sementes salvas está na dispersão dos propágulos de plantas daninhas.

Muitas sementes de plantas daninhas são consideradas nocivas proibidas ou toleradas, já falamos sobre isso aqui no blog, você pode conferir neste link.

Dependendo da cultura e da planta daninha, pode ser muito prejudicial a presença na lavoura, o que inviabiliza a comercialização de lotes de sementes.

Algumas plantas daninhas são muito prejudiciais e de difícil controle como as espécies conhecidas por tiririca (Cyperus rotundus), que possuem como forma de reprodução as sementes, os bulbos, os tubérculos e os rizomas.

Outras espécies são prejudiciais pela dificuldade de controle dentro da cultura, como é o caso do arroz vermelho na cultura do arroz.

A presença de plantas daninhas dentro da lavoura durante o período crítico de prevenção à interferência (PCPI) levará a queda de produtividade, pois elas competem por água, luz e nutrientes com a cultura.

Além disso, o gasto com herbicidas e estratégias de controle será mais elevado, por isso é sempre bom lembrar do método de controle preventivo e evitar a entrada de sementes na área, utilizando sementes certificadas.

Baixa germinação e falhas no estande devido ao uso de sementes salvas na foto da direita. Fonte: Sementes Estrela.

 

Além da presença de sementes ou propágulos de plantas daninhas, as sementes piratas podem conter partículas de solo e/ou sementes contaminadas com patógenos.

Muitos patógenos são transmitidos pelas sementes, você pode conferir sobre este tema neste link, onde mostro as doenças que podem causar problemas na sua lavoura e os patógenos que podem estar associados às sementes da cultura.

E, claro, não podemos nos esquecer dos insetos-pragas, que podem estar no lote de sementes não certificadas.

As sementes certificadas passam por vistorias durante todo o processo e, por isso, são tomados os devidos cuidados com as pragas de armazenamento.

Outro fator importante que afeta a nossa lavoura são as sementes com baixa germinação e vigor. Isso pode ser evitado ao utilizar sementes certificadas.

A baixa germinação vai comprometer o estande da lavoura. Com menor número de plantas germinando no campo, menor será a sua produtividade.

A demora na velocidade de germinação também vai expor a semente por mais tempo a patógenos de solo e a condições adversas.

Fonte: Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (ABRASS).

Conclusão

O uso de sementes piratas e/ou salvas não tem garantia de germinação, vigor, pureza varietal e de ser livre de pragas, doenças e propágulos de plantas daninhas.

Ao utilizar sementes salvas você não terá as garantias legais caso haja algum problema na sua lavoura.

Opte sempre por sementes certificadas, pois elas passaram por vistorias e fiscalizações ao longo do processo de produção.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre semente salva? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP) e especialista em Agronegócios. Atualmente Professora da Colaboradora na UEL.

Para ter acesso a mais conteúdos da Conecta Sementes, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *