Vigor de sementes

Vigor de sementes: entenda o que é, quais fatores podem influenciar no vigor das sementes e quais testes são feitos para avaliar essa característica.

Hoje trouxe para você mais informações sobre o vigor das sementes e o que pode afetar essa característica.

Antes de mostrar quais são os fatores que podem interferir e acabar reduzindo o vigor das sementes, vamos entender qual a definição.

Conceitos de vigor

Se você buscar na literatura definições para o termo “vigor de sementes”, encontrará diversos conceitos.

Trouxe aqui alguns deles para que você consiga entender melhor o que é e a importância dele.

Vigor genético: observado nas diferenças de vigor entre duas linhagens.

Vigor fisiológico: observado entre lotes de uma mesma linhagem genética, cultivar ou espécie.

O vigor fisiológico depende do vigor genético e das condições em que as plantas estão durante a produção das sementes.

De acordo com a ISTA (International Seed Testing Association), o vigor de sementes é a soma das propriedades que determinam o nível potencial de atividade e desempenho de uma semente ou de um lote de sementes durante a germinação e a emergência da plântula.

Segundo a AOSA (Association of Official Seed Analysts), o vigor de sementes compreende as propriedades que determinam o potencial para uma emergência rápida e uniforme e para o desenvolvimento de plântulas normais sob ampla faixa de condições ambientais.

Agora que você já sabe o que é vigor de sementes, vamos ver quais os fatores que podem interferir.

Fatores que afetam o vigor

Genético

No caso genético, o genótipo das plantas determina em partes o vigor das sementes, existindo diferenças entre as cultivares de uma mesma espécie.

Durante a produção

O vigor das sementes pode ser afetado pelas condições ambientais durante a formação da semente.

Assim, qualquer condição que prejudique a formação da flor e a fertilização, poderá afetar o vigor da semente que está sendo produzida.

Após a fertilização, a planta começará a enviar os produtos da fotossíntese para a semente, portanto quanto maior for a reserva de nutrientes na semente, maior será o vigor da plântula.

Portanto, qualquer fator que afete o desenvolvimento e acúmulo de reservas pela semente, estará influenciado no vigor.

Alguns fatores que influenciam são:

  • temperatura;
  • água;
  • nutrientes;
  • luz;
  • fotoperíodo.

O suprimento de água para o desenvolvimento da semente pode afetar quantitativamente a composição química dela.

Já a temperatura pode influenciar nos processos de desenvolvimento das sementes.

A luz está ligada a eficiência da fotossíntese e, consequentemente, a quantidade de fotoassimilados que serão translocados para a semente.

A umidade e a temperatura do solo são fatores que podem afetar a produção e o tamanho de sementes.

Em relação aos nutrientes, estes vão interferir na composição química das plantas e sementes.

A maturidade da semente também afeta o vigor. Sementes maduras apresentam desenvolvimento físico e fisiológico que garante o vigor

Entretanto, sementes não maduras podem germinar, porém podem não formar plântulas vigorosas.

Assim, qualquer efeito climático que possa acontecer após a semente atingir o ponto de maturação fisiológica no campo, pode interferir no vigor.

Após a maturidade fisiológica, o excesso de umidade no solo ou no ar e temperaturas elevadas, podem provocar danos nas sementes.

Na ilustração você pode observar sementes de soja com sintomas de deterioração por umidade. A primeira foto mostra sementes secas com enrugamento devido a esse tipo de dano. No meio você pode ver o sintoma de deterioração por umidade (teste de tetrazólio). Na terceira foto você pode ver sementes de soja com rupturas no tegumento. Fonte: França-Neto et al. (2016).

 

Danos mecânicos

Os danos mecânicos, ao atingirem o embrião ou o endosperma da semente, podem ocasionar perda de vigor.

Estes danos são provocados durante a colheita, processamento e manuseio das sementes e geralmente ocorrem devido a regulagens mal feitas nas máquinas e equipamentos, aliado a sementes com alto ou baixo teor de água.

Microrganismos e insetos

Sementes atacadas por insetos e/ou microrganismos possuem menor vigor.

O ataque destes patógenos pode ter início ainda no campo, quando as condições ambientais são favoráveis.

Isso também pode ocorrer durante o armazenamento das sementes, caso não haja controle destes patógenos.

Durante o armazenamento, os insetos podem consumir as reservas das sementes e, também, devido a intensa respiração podem ocorrer outros processos como a fermentação, levando a deterioração das sementes.

Dentre os microrganismos, os fungos são os principais causadores de problemas durante o armazenamento das sementes, pois podem reduzir o vigor ou ainda destruir as sementes.

O tratamento de sementes com inseticidas, bactericidas e fungicidas é importante para manter o vigor das sementes durante o armazenamento.

 

Na foto a esquerda você pode observar sementes de soja com danos causados por picada de percevejo. Na primeira foto você pode ver sementes secas com manchas de Nematospora coryli. Na segunda foto observe as sementes com danos de percevejo coloridas pelo sal de tetrazólio.

Fonte: França-Neto et al. (2016)

 

Condições ambientais durante o armazenamento

Durante o armazenamento das sementes, a umidade relativa do ar e a temperatura podem afetar o vigor.

A umidade relativa do ar durante o armazenamento está relacionada com o teor de água na semente e, esta, regula os processo metabólicos que podem ocorrer na semente.

Já, a temperatura vai afetar na velocidade dos processos bioquímicos e no teor de água na semente.

Portanto, para o armazenamento de sementes o ideal é trabalhar com baixas temperaturas e umidades relativas do ar.

Assim, consegue-se manter o embrião da semente com baixa atividade metabólica.

Densidade e tamanho da semente

No geral, é possível que sementes com maior tamanho e densidade sejam as mais vigorosas.

Sementes maiores terão mais reservas e possivelmente terão o embrião mais bem formado. Entretanto, na literatura há casos em que o vigor das sementes foi relacionado à quantidade de proteínas e não ao tamanho da semente.

Idade da semente

O maior vigor das sementes ocorre na maturação fisiológica.

Após a maturação fisiológica das sementes, haverá mudanças bioquímicas e fisiológicas que levarão a deterioração e consequentemente a perda de vigor da semente.

A velocidade com que isso acontece vai depender do tempo que essas sementes ficam no campo após atingirem a maturidade fisiológica, às condições ambientais neste período, e, também do beneficiamento e armazenamento.

Baixas temperaturas durante a embebição

Algumas espécies podem ser sensíveis a baixas temperaturas durante a primeira fase do processo de germinação, conhecido por embebição da semente.

Durante essa fase, a semente começa a absorver água para aumentar as taxas metabólicas. Entretanto, algumas espécies são sensíveis a baixas temperaturas durante o processo de embebição.

Há relatos de redução na sobrevivência das plântulas, menor altura e menor acúmulo de massa seca.

Métodos para testar o vigor

Testes diretos (que simulam as condições que ocorrem no campo):

  • teste de frio (“cold test”;
  • velocidade de emergência no campo;
  • população inicial;
  • peso da matéria verde;
  • crescimento das plântulas;
  • teste de aquecimento para ervilha.

Testes indiretos (avaliam os atributos que se relacionam indiretamente com o vigor):

Testes bioquímicos:

  • testes de respiração;
  • teste GADA (descarboxilase do ácido glutâmico);
  • teste do tetrazólio;
  • teor de ácidos graxos;
  • teste de condutividade elétrica;
  • teste de aldeídos voláteis.

Testes fisiológicos em condições favoráveis:

  • primeira contagem;
  • velocidade de germinação;
  • crescimento da raiz;
  • crescimento da plântula;
  • transferência de matéria seca;
  • classificação do vigor das plântulas.

Testes fisiológicos em condições de estresse ou testes de resistência:

  • germinação a baixa temperatura;
  • imersão em água quente;
  • imersão em solução osmótica;
  • imersão em solução tóxica;
  • teste de exaustão;
  • envelhecimento precoce.

Teste de hipoclorito de sódio para a determinação do índice de semente de soja com fissuras, causadas pela ocorrência de danos mecânicos.

Foto: Arquivo pessoal da autora.

 

Conclusão

No texto de hoje você aprendeu o que é vigor de sementes, porque ela é importante e quais fatores podem prejudicar.

Você viu que muitos fatores podem influenciar no vigor como: genéticos, temperatura, água, nutrientes e luz durante a produção da semente, armazenamento, insetos e microrganismos, idade, tamanho e densidade da semente, temperatura durante a germinação e danos mecânicos.

No final, listei para você testes que avaliam o vigor das sementes, tanto direta como indiretamente.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre vigor de sementes? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP) e especialista em Agronegócios. Atualmente Professora da Colaboradora na UEL.

Clique no site da Conecta Sementes para saber mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *