Teste de tetrazólio: Determinando a viabilidade das sementes

O teste de tetrazólio é uma das alternativas mais usadas para verificar a viabilidade de uma semente. Afinal, ele viabilizou a redução do período de embebição delas de 16 horas com 25 graus à 6 horas por 41 graus!

Foram realizados testes em mais de um tipo de semente, determinando o grau de umidade, índice de vigor, viabilidade, dano mecânico e deterioração por umidade. Todos em várias temperaturas também.

Vamos falar mais sobre o teste de tetrazólio nas próximas linhas. Portanto, continue acompanhando para saber mais sobre essa importante avaliação. Boa leitura!

O que é o teste de tetrazólio?

O teste de tetrazólio é uma avaliação bioquímica e o seu principal objetivo é determinar a viabilidade das sementes. Portanto, nessa avaliação as sementes são embebidas em uma solução incolor contendo de 2, 3, 5 trifenil cloreto ou o brometo de tetrazólio. Essas soluções são indicadores do processo de respiração dos grãos.

Quais os equipamentos e materiais necessários?

Para realizar o teste de tetrazólio é necessário ter os seguintes equipamentos, vidros e reagentes:

  • Reagente: sal de tetrazólio, 2,3, 5 trifenil cloreto de tetrazólio;
  • Plásticos e vidros: placas de Petri, Becker ou copos de plásticos de volume de 50ml, frascos de vidro na cor âmbar;
  • Lâmina de barbear ou bisturi;
  • Pinças; 
  • Estufa com temperatura de 35 graus a 41;
  • Lupa circular com aumento de 4 a 6 vezes com iluminação fluorescente;
  • Refrigerador para a armazenagem das amostras;
  • Papel de germinação.

Como realizar o procedimento de teste de tetrazólio?

É recomendado utilizar uma solução de tetrazólio na concentração de 0,075%, afinal, a mesma permite uma coloração adequada das sementes. Isso propicia a visualização com maior precisão de danos mecânicos recentes. Ela é causada por abrasão, que normalmente não seriam detectados com o uso de soluções mais concentradas (0,5% a 1,0%), conforme sugerido na literatura internacional. 

Além disso, a utilização de solução nessa concentração no teste de tetrazólio é mais econômica: com um vidro de 10 g do sal de tetrazólio pode-se testar a viabilidade de até 200 amostras de semente, utilizando a solução a 0,075%. Portanto, caso a solução utilizada tivesse a concentração de 1,0%, apenas 15 amostras poderiam ser avaliadas com 10 g do sal.

Se prepara, inicialmente, a solução estoque a 1,0%, misturando 10,0 g do sal de tetrazólio em 1000 mL de água destilada ou deionizada, Porém, deve ter um pH neutro, na faixa de 6,5 a 7,5. Entretanto, se o pH da solução de tetrazólio, quando preparada em água, estiver muito ácida, devido às diferenças existentes entre as diversas marcas do sal disponíveis no mercado, o sal deverá ser dissolvido em uma solução tampão, preparada conforme os passos abaixo:

Solução tampão para teste de tetrazólio

  • Solução 1 – dissolver 9,078 g de fosfato de potássio (KH2 PO4 ) em 1000 mL da água destilada ou deionizada; 
  • Solução 2 – dissolver 11,876 g de fosfato monoácido de sódio bihidratado (Na2 HPO4 2H2 O) em 1000 mL de água destilada, ou dissolver 9,472 g de Na2 HPO4 em 1000 mL de água destilada ou deionizada. 
  • Preparo: Misturar 400 mL da Solução 1 com 600 mL da Solução 2, para obter 1000 mL da solução tampão, e observar o pH, que deve estar entre 6,5 e 7,5. 

A semente de soja não é muito exigente em relação ao pH final da solução de tetrazólio, que normalmente é ácida, quando preparada com água. Entretanto, a avaliação do teste em culturas de cereais de inverno como o trigo, aveia, cevada, centeio e triticale, sugere-se que a solução de trabalho seja preparada com a solução tampão, conforme descrita acima. 

Preparando-se a Solução Estoque do teste de tetrazólio em água ou na solução tampão, a mesma deve ser armazenada em frasco de vidro ou de plástico de cor âmbar, ou em frascos envolvidos por filme de alumínio em local escuro e fresco, de preferência na geladeira. Portanto, isso deve ser realizado, pois o tetrazólio é degradado pela ação da luz. 

De acordo com o Comitê de Tetrazólio da ISTA, a solução de tetrazólio, se preparada com os cuidados mencionados acima, poderá ser armazenada por um período de até um ano, sem perder as suas características para a realização do teste. A Solução de Trabalho, na concentração de 0,075%, deve ser preparada, quando necessário, seguindo as especificações abaixo, enfatizando-se que a mesma deve ser armazenada com os mesmos cuidados da Solução Estoque: 

  • 1000 mL de Solução de Trabalho a 0,075% = 75 mL Solução Estoque (1,0%) + 925 ml de água destilada ou deionizada (ou solução tampão).

Por que empregar o teste de tetrazólio?

Ao realizar o emprego do teste de tetrazólio, que é rápido e eficiente, ajuda a tornar os processos de qualidade de semente mais assertivos. Portanto, tornou-se uma ferramenta imprescindível para verificar a qualidade fisiológica das sementes. 

O teste de tetrazólio é uma alternativa promissora, já que é rápido, assertivo e eficiente na caracterização da viabilidade e vigor da semente. Afinal, ele também detecta sinais de umidade, danos mecânicos, de secagem e ocasionados por pragas. Portanto, é bem completo!

Além disso, os dados obtidos por meio deste teste auxiliam o processo de controle de qualidade em todas as etapas da colheita, transporte e armazenamento. Ou seja, todas as fases até chegar ao consumidor final são preservadas. Portanto, há uma sólida comercialização das sementes quando se obtém dados tão concretos.

A avaliação da qualidade fisiológica de sementes, por meio do teste de tetrazólio, tem proporcionado, nos últimos anos, contribuição altamente significativa na identificação dos níveis de vigor e viabilidade, fundamentais para o controle de qualidade de sementes no Brasil.

Porém, além da importância do referido teste na avaliação do vigor, destaca-se o monitoramento da deterioração no campo, que compromete a qualidade da semente, especialmente nas regiões de baixas altitudes, onde as condições climáticas geralmente são mais drásticas. Entretanto, o teste permite a avaliação do controle de percevejos e da redução de danos mecânicos durante a colheita.

Utilizar esse teste de tetrazólio é fundamental para que as sementes sejam comercializadas com mais qualidade.

Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *