Fatores que afetam a produção e o desempenho das sementes

Origem, vigor, adubação, tratamento de sementes, injúrias mecânicas: veja como alguns fatores podem influenciar na produção de sementes.

Muitos fatores podem interferir e acabar afetando a produção e o desempenho das sementes.

Quando conhecemos esses fatores podemos prevenir ou minimizar estes efeitos com estratégias e, assim garantir a germinação e o vigor das sementes.

Entre os fatores que podem afetar o desempenho das sementes temos: origem das sementes, vigor das sementes, tamanho das sementes, tratamento químico das sementes, época de semeadura, adubação e injúrias mecânicas.

Vamos ver estes fatores, iniciando com a origem das sementes, ou seja, local onde a semente foi produzida.

Origem das sementes

A origem da semente é pouco estudada sobre como pode afetar a produção.

Entretanto, alguns autores relatam que o local onde a semente é produzida altera a composição da semente e isso terá influência na germinação.

Esse efeito da origem da semente está relacionado às condições climáticas durante o desenvolvimento das plantas.

A temperatura, por exemplo, tem grande influência no desenvolvimento e também na maturação das sementes.

Se fosse reconhecido e estudado que a origem da semente tem efeitos na qualidade fisiológica, isso poderia influenciar na hora de escolher os locais de produção.

Vigor das sementes

O vigor das sementes afeta o potencial de armazenamento.

As sementes menos vigorosas vão se deteriorar mais rápido e se tornar inviáveis antes das sementes de alto vigor.

Uma semente de baixo vigor vai reduzir a velocidade de germinação, aumentar a quantidade de plântulas anormais e aumentar a heterogeneidade de desenvolvimento das plântulas.

Quanto maior for o grau de deterioração da semente, mais tempo ela vai demorar para reparar esses tecidos durante o processo de germinação, tendo um gasto maior de energia durante a absorção de água.

Além disso, quanto mais tempo a semente demora para germinar, mais suscetível estará aos patógenos de solo.

Outro ponto importante aqui é que uma semente com menor vigor dará origem a uma planta menos vigorosa, apresentando menor desenvolvimento.

O desenvolvimento mais demorado da plântula deixa ela mais suscetível ao damping-off, além de aumentar os custos com controle de plantas daninhas, pois levará mais tempo para a cultura sombrear a entrelinha.

O atraso na emergência e no desenvolvimento inicial da planta também pode afetar o florescimento, de forma a retardá-lo.

Entretanto, o efeito direto do baixo vigor da semente na produtividade está relacionado a não germinação e a não sobrevivência da planta até a fase adulta. Portanto, é um efeito indireto do vigor sobre a produtividade mas diretamente relacionado ao estabelecimento das plantas.

Tamanho das sementes

O tamanho da semente não chega a ser um problema quando estamos falando de soja, milho e sorgo, por exemplo.

Esse fator acaba sendo mais observado em culturas de sementes pequenas como nabo, repolho e azevém-perene.

Nesses casos, as menores sementes acabam tendo uma menor germinação.

Entretanto, o processo de beneficiamento acaba eliminando do processo as sementes pequenas.

Portanto, o tamanho da semente acaba não refletindo na germinação, porém ele afetará o vigor da plântula.

Sementes maiores resultam em plântulas mais vigorosas, influenciando principalmente no peso delas. Isso pode ser explicado pelo fato de sementes maiores terem maiores quantidades de reservas.

O desenvolvimento inicial de plantas provenientes de sementes pequenas é mais lento em comparação a plantas provenientes de sementes maiores. Essa diferença acaba desaparecendo com o passar do tempo.

Assim, parece que o tamanho da semente tem influência apenas sobre o crescimento inicial das plantas, como se fosse um efeito residual, no qual reduz com o passar do tempo.

Outro ponto importante demonstrado em alguns trabalhos foi que sementes de trigo com maior quantidade de proteínas tiveram um desempenho melhor.

Em outro trabalho, mostrou-se que as sementes, as plantas que receberam maior quantidade de nitrogênio, produzem mais sementes, porém de menor tamanho, mas com maior quantidade de proteínas, e estas tiveram um melhor desempenho.

Tratamento químico das sementes

O tratamento químico das sementes pode ser realizado com fungicidas, inseticidas, reguladores de crescimento, corante, entre outros produtos.

O objetivo é sempre melhorar o desempenho germinativo.

O tratamento químico de sementes com fungicidas protege a semente dos patógenos do solo durante o processo de germinação.

Época de semeadura

A época de semeadura está relacionada ao zoneamento agrícola, pois as condições climáticas afetam a produção de sementes.

Após a maturação das sementes é ideal que não haja chuvas.

Já, durante o enchimento de grãos não pode haver falta de água.

Na produção de sementes de arroz, por exemplo, se falta água durante a fase de acúmulo de massa seca haverá formação de sementes parcialmente desenvolvidas ou grãos chochos.

Em culturas com possibilidade de mais de um cultivo por ano, como no caso do feijão, da batata e do amendoim, as sementes acabam apresentando melhor qualidade no cultivo da seca do que no cultivo das águas.

Alterações físicas na semente de soja que ocorrem por causa da alteração no teor de água da semente. O teor de água é afetado pelas condições ambientais que as sementes ficam expostas após atingirem a maturidade fisiológica e antes da colheita. Essa oscilação pode resultar no aparecimento de rugas e causar deterioração por umidade. Esquema: José de Barros França-Neto; arte: Danilo Estevão. Fonte: adaptado de França-Neto e Henning (1984). Embrapa (2016).

Adubação

Para a produção de sementes a preferência sempre será por solos mais férteis.

Enrugamento de sementes de soja por causa de altas temperaturas e seca na fase de enchimento de grãos. Esquerda: sementes secas com enrugamento; direita: sementes enrugadas coloridas pelo sal de tetrazólio. Embrapa (2016).

Injúria mecânica

A injúria mecânica é consequência da mecanização das atividades agrícolas.

É importante sabermos como a injúria mecânica ocorre, pois assim podemos focar no seu controle.

Uma das mais importantes fontes de injúria mecânica é na máquina de colheita, durante a debulha.

Durante a debulha são aplicadas forças sobre as sementes para separá-las da sua estrutura como espiga, vagem, entre outras.

Teste de injúrias no milho. Foto: Arquivo pessoal da autora.

Outro momento que merece destaque é durante o beneficiamento das sementes. Neste caso a injúria irá ocorrer pelas quedas sucessivas de alturas variadas.

Além destes, ainda podem acontecer injúrias mecânicas nas sementes na máquina de semeadura, durante o armazenamento e durante o transporte.

A injúria mecânica vai interferir na germinação e no vigor da semente.

Assim, quanto maior for a força de impacto, maior será o grau de injúria mecânica.

Quanto maior o número de impactos que a semente sofre, mais sensível ela fica aos danos mecânicos.

Sementes de soja coloridas com o sal de tetrazólio, mostrando danos mecânicos latentes. Embrapa (2016).

O fator que desempenha o papel mais importante na injúria mecânica é o teor de água na semente no momento do impacto.

Em função do teor de água podemos classificar a injúria mecânica em:

  • “amassamento”;
  • “quebramento”.

O quebramento ocorre quando a semente está com teor de água muito baixo e o amassamento quando o teor de água é elevado.

Desse modo, dentro da faixa de 12 – 14% a 16 – 18% a intensidade de injúria mecânica é minimizada.

Sementes de soja com sintomas típicos de deterioração por umidade. À esquerda: sementes secas com enrugamento devido a esse tipo de dano; no centro: sintoma de deterioração por umidade, caracterizado no teste de tetrazólio; à direita, sementes de soja com rupturas no tegumento. Embrapa (2016).

Conclusão

No texto de hoje você aprendeu sobre fatores que afetam a produção e o desempenho das sementes.

Vimos que alguns fatores como a injúria mecânica pode afetar a germinação e o vigor das sementes. E que as injúrias podem ocorrer principalmente durante a colheita e o beneficiamento das sementes.

Você também aprendeu que a origem e o vigor das sementes acabam influenciando no estabelecimento das plantas no campo.

O tratamento químico protege as sementes dos patógenos do solo e a época adequada de semeadura ajuda a prevenir excesso ou falta de água em importantes momentos da produção de sementes.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre fatores que afetam a produção e o desempenho das sementes? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP) e especialista em Agronegócios. Atualmente Professora da Colaboradora na UEL.

Para saber mais sobre a Conecta Sementes, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *