Armazenar na fazenda gera ganhos de até 55%

Dados mostram que armazenar para comercializar na entressafra é bom negócio. 

Investir em um silo próprio, dentro da fazenda pode trazer ganhos ao produtor. Isso acontece porque, sem a pressão de venda, é possível deixar os grãos armazenados por mais tempo e assegurar preços melhores na entressafra. De acordo com Serviço Nacional de Aprendizado Rural (Senar) o armazenamento dos grãos em silo próprio, realizando a comercialização na entressafra, pode refletir em ganhos de até 55% para os produtores.

De acordo com o consultor de Política Agrícola da Aprosoja, Thiago Rocha, a armazenagem de fazenda é preciso quebrar paradigmas dos agricultores para a implantação de um sistema de armazenamento da propriedade rural. “É um investimento com um montante significativo, que precisa de um certo planejamento; mas que é possível de ser pago em 6 anos. No entanto, há, também, algumas questões que são qualitativas. Se você investigar com um produtor rural o que mudou na vida dele, ele vai dizer que a qualidade de vida é outra. Então, agora o trabalho com o produtor é de mostrar esses resultados para que ele consiga enxergar o retorno projetado para a atividade”, disse.

Uma possibilidade para os produtores como uma das soluções intermediárias oferecidas para armazenamento não convencionais pelo mercado são os chamados silos bags. A professora da Universidade Federal de Mato Grosso, Solenir Ruffato, reforça que este sistema de armazenamento é uma estratégia que deve ser encarada como uma alternativa, e não apenas como emergência. “Os argentinos também têm uma prática bem interessante nesse sentido. Dessa armazenagem na fazenda, 50% são em silo bolsa”.

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) o Brasil está bem abaixo de outros países quando o assunto é armazenar dentro das propriedades. Enquanto em fazendas de países como Argentina, Canadá e Estados Unidos o percentual atinge patamares de 40%, 85% e 65% respectivamente, no Brasil este índice permanece próximo a 14% ao longo de 10 anos.

Entre as vantagens de ter uma unidade de armazenamento própria, o boletim aponta minimização das perdas, tanto quantitativas quanto qualitativas, observadas na fazenda, geradas por atrasos na colheita ou armazenagem inadequada; Redução no custo de transporte, tendo em vista que no período de safra, devido à alta oferta de grãos, o preço do transporte atinge o seu ápice; Aumento do rendimento da colheita, por evitar filas de caminhões nas unidades coletoras ou intermediárias; Aumento da qualidade da safra, pois não ocorre mais grandes acúmulos de produtos a serem processados inadequadamente em um mesmo período de safra; Aumento do poder de negociação dos produtores, ao passo que podem escolher a melhor época para comercializarem sua produção.

Fonte: Agrolink

Para saber mais sobre  a Conecta Sementes, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *