Fatores que afetam a germinação de sementes

Fatores que afetam a germinação de sementes: entenda mais quais são os fatores internos e externos que podem influenciar na germinação de sementes.

Para iniciarem o processo de germinação as sementes dependem de condições internas e externas.

Por isso, no texto de hoje separei para você quais são esses fatores e porque eles são essenciais para que a germinação ocorra.

Os fatores internos que afetam a germinação são a longevidade e a viabilidade das sementes.

Já os fatores externos que afetam a germinação são a água, temperatura e oxigênio.

Como os fatores internos afetam a germinação das sementes?

Para que uma semente germine ela precisa estar viva. Parece lógico, mas temos que lembrar que ela pode estar dormente, e uma semente assim não germina, mesmo que todas as condições sejam favoráveis.

A longevidade da semente, ou seja, o período que ela pode viver, depende de características genéticas.

Já, o período que a semente realmente vive, é chamado de viabilidade, e depende da interação dos fatores genéticos e ambientais.

Portanto, veja que a longevidade e a viabilidade são diferentes, ou seja, a longevidade é o tempo que a semente pode viver, mas isso depende de fatores genéticos e ambientais que acabam determinando a viabilidade (tempo que realmente a semente vive).

A longevidade das sementes é quase impossível de ser determinada.

O período de longevidade das sementes pode ser de dias até mesmo séculos.

A informação de longevidade da semente é importante para os que trabalham em bancos de germoplasma.

A viabilidade das sementes, ou seja, o período de vida que uma semente vive dentro do período de longevidade, vai depender de alguns fatores como:

  • características genéticas da planta progenitora;
  • vigor das plantas progenitoras;
  • condições climáticas durante a maturação das sementes;
  • injúria mecânica;
  • condições durante o armazenamento das sementes.

A viabilidade é diferente de acordo com cada espécie, chegando a diferenciar entre cultivares.

Assim, o período de viabilidade pode ser diferente mesmo que as espécies tenham sido cultivadas nas mesmas condições ambientais.

Durante a maturação das sementes no campo, o clima vai influenciar na viabilidade das sementes.

O principal fator que interfere na viabilidade da semente durante o período de maturação no campo é a disponibilidade de água.

Na fase de acúmulo de matéria seca pela semente é preciso que haja água disponível no solo para a planta utilizar nesse processo.

Caso haja estresse hídrico durante a fase de acúmulo de matéria seca, pode haver formação de sementes de menor densidade, chochas e, que consequentemente terão menor viabilidade.

A falta de água pode prejudicar, mas o excesso também. Por isso, em campos de produção de sementes o ideal é que não haja chuva após a semente atingir a maturidade fisiológica.

Nessa fase a semente está no processo de perder água, de desidratar, e o ideal é que não haja chuva, para não acelerar o processo de deterioração.

Outro fator que afeta a viabilidade das sementes é o grau de injúria mecânica.

A injúria mecânica por ocasião da colheita, beneficiamento ou armazenamento pode levar a morte da semente, caso o impacto seja muito forte, ou ainda causar rachaduras na casca.

Figura A mostra os níveis de danos mecânicos às sementes e de perdas na colheita (na plataforma de corte de colhedora) durante a colheita, em função do grau de umidade das

sementes. A Figura B mostra o vigor e viabilidade da semente de soja em função do grau de umidade das sementes na colheita. Fonte: adaptado de Costa et al. (1979) e Mesquita et al. (1980).

 

Rachaduras na casca da semente facilitam a entrada de microrganismos, o que pode levar a semente a morte ou redução do vigor.

A redução do vigor leva a plântulas enfraquecidas que também acabam sendo mais suscetíveis a patógenos.

A perda de viabilidade durante o armazenamento acontece caso o metabolismo da semente seja ativado, porém ela não consegue germinar, isso acelera a taxa de deterioração.

Quais os fatores externos que afetam a germinação das sementes?

Estes fatores são a água, o oxigênio e a temperatura.

A água é o fator que mais influencia na germinação das sementes.

A absorção de água pela semente reidrata os tecidos, intensifica a respiração e as atividades metabólicas que fornecem energia e nutrientes para o crescimento do eixo embrionário.

A água aumenta o volume da semente, o que provoca o rompimento da casca. Este processo facilita a emergência do hipocótilo radicular, ou de qualquer outra estrutura da semente.

Vamos relembrar agora como acontece o processo trifásico de absorção de água pelas sementes, isso vai ajudar a entender porque a água é o principal fator que não pode faltar na germinação.

A absorção de água pela semente ocorre em 3 fases.

A fase I ocorre bem rápido. A semente começa absorver água do solo devido ao potencial matricial dos tecidos da semente.

A fase II tem absorção lenta de água.

Já na fase III a absorção de água é ativa, pois o eixo embrionário inicia o crescimento e precisa de água para formar as novas células.

Padrão trifásico de captação de água pelas sementes durante a germinação. Fonte: Bewley e Black (1978).

As espécies diferem quanto à absorção de água. No geral, sementes com alto teor de proteínas, como a soja, absorvem maior volume de água e de forma mais rápida.

Velocidade de absorção de água por diferentes espécies. Fonte: Burch e Delouche (1959).

 

A temperatura influencia na germinação total e na velocidade de germinação das sementes.

Assim, a máxima eficiência do processo de germinação da semente é aquele no qual ocorre o máximo de germinação no menor período de tempo. E isso acontece em uma faixa de temperatura ótima.

Abaixo ou acima dessa faixa de temperatura a germinação é prejudicada.

Há também algumas espécies que germinam com a alternância de temperaturas, ou seja, temperaturas diurnas mais altas e noturnas mais baixas.

Portanto, você pode ver que a temperatura pode afetar a germinação total das sementes, a velocidade de germinação e a uniformidade de germinação.

A germinação total é crescente com o aumento da temperatura, até atingir o limite máximo, no qual a temperatura começa a inibir a germinação.

Principais eventos metabólicos que caracterizam a germinação de sementes. Fonte: Bewlew (1997).

Em relação ao oxigênio, este é necessário para a degradação das substâncias de reserva da semente.

O oxigênio é o combustível que precisa para a queima da reserva da semente que será utilizada como fonte de nutriente e energia no processo de germinação.

No geral, as sementes precisam de pouco oxigênio para a germinação, não ultrapassando os 10%.

(A) Germinação epígea em sementes de feijão, uma eudicotiledônea. (B) Germinação hipógea em sementes de milho, uma monocotiledônea. Ilustrações: (A) Studio BKK. (B) Aeesha Norm/Shutterstock.com.

Conclusão

No texto de hoje você aprendeu que fatores internos e externos podem afetar a germinação das sementes.

Nos fatores internos você viu que a longevidade e a viabilidade da semente podem afetar a germinação.

Já, nos fatores externos aprendemos que a água, a temperatura e o oxigênio são importantes para a germinação.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre fatores que afetam a germinação de sementes? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP) e especialista em Agronegócios. Atualmente Professora da Colaboradora na UEL.

Para saber mais sobre a Conecta Sementes, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *