Melhor semente: saiba como garantir a sua para a próxima safra

Escolha da semente: o que devemos considerar na hora dessa tomada de decisão?

Muitas decisões são importantes antes da próxima safra, entre elas a compra dos insumos agrícolas, entre eles, um dos principais é a semente.

Para a escolha da melhor semente para a sua propriedade, você pode consultar boletins informativos que trazem as produtividade médias de cada cultivar, variedade ou híbrido.

Fique atento também a novas cultivares lançadas e novas biotecnologias disponíveis no mercado. Avalie o quanto investir na semente levando em consideração o nível de tecnologia e o investimento que irá fazer.

Busque informações das melhores cultivares, que são adaptadas à região e, sempre siga o ZARC (Zoneamento Agrícola de Risco Climático).

O ZARC vai lhe indicar as cultivares adaptadas à região e as datas de plantio de acordo com o seu município, sendo importante seguí-lo pois isso minimiza as chances de perdas da lavoura por estiagem ou geadas.

A escolha também deve se basear na biotecnologia, como por exemplo resistência a insetos, tolerância a herbicidas e/ou tolerância à seca, ou ainda, se optar por cultivares convencionais.

Você pode ver mais sobre este assunto no texto “Tecnologias transgênicas na cultura da soja”.

Veja agora algumas dicas para escolher a melhor semente para a sua propriedade!

Como escolher a melhor semente?

Além da produtividade você precisa avaliar alguns outros pontos importantes.

Por exemplo, na escolha da semente de soja, além da produtividade, você deve avaliar o ciclo, o tipo de crescimento, a época de semeadura, a resistência a doenças, o grupo de maturação, a exigência em fertilidade e o ZARC.

Já, na escolha de sementes de trigo, você deve considerar o seu objetivo (trigo de sequeiro, irrigado ou de duplo propósito), o ZARC e características das cultivares (resistência a pragas e doenças, tolerância a herbicidas, qualidade dos grãos e produtividade).

Após decidir qual cultivar comprar e de qual fornecedor, outro ponto importante é verificar a qualidade da semente. Por isso, é essencial conferir e fazer uma amostragem no lote de sementes.

Amostragem do lote de sementes

É importante fazer a amostragem do lote de sementes. A maior parte dos sementeiros permitem que seja feita a amostragem pelo comprador, que deve levar para ser analisada em um dos laboratórios de sementes credenciados pelo MAPA.

 

Teste de germinação de sementes. Fonte: ADV Consultoria Agronômica.

Lembre-se que a porcentagem de germinação é importante, mas além dela o vigor, a quantidade de impurezas, dentre outros fatores são importantes para avaliar a qualidade do lote de sementes.

Outro ponto fundamental é como você irá armazenar essa semente até a data de plantio, por isso algumas questões sobre o galpão de armazenamento devem ser consideradas.

Galpão de armazenamento

O correto armazenamento das sementes é parte tão importante quanto todas as outras etapas do processo de produção de sementes.

O armazenamento é fundamental para a manutenção da qualidade física, fisiológica e sanitária das sementes.

A qualidade fisiológica da semente está relacionada à germinação e vigor da semente. Após a colheita a semente inicia o processo de deterioração, porém conseguimos reduzir a velocidade com que esse processo ocorre.

Com a redução do poder germinativo e do vigor da semente, há uma redução na longevidade da semente.

Germinação e deterioração de sementes. Fonte: SEEDNews.

Por isso, técnicas de armazenamento são necessárias para reduzir a velocidade destes processos.

Entre as estratégias está o controle de temperatura e da umidade relativa durante o armazenamento das sementes.

Além disso, caso não seja feito um bom armazenamento das sementes com condições controladas de temperatura e umidade relativa do ar, pode haver o ataque de pragas como os gorgulhos e traças.

Temperaturas de armazenamento entre 25 e 32°C favorecem as pragas de armazenamento. Portanto, a temperatura dentro do galpão de armazenamento na sua propriedade não deve chegar a temperaturas superiores a 25°C e a umidade relativa do ar deve ficar em torno de 70%.

A organização do galpão é muito importante, ele precisa ter uma boa estrutura para acondicionar as sementes até o plantio.

As sementes precisam ficar sobre estrados de madeira ou paletes, evitando o contato com o chão. Também não podem ter contato com as paredes e teto do galpão, portanto deixe ao menos 0,5 m de espaço.

Fonte: Canal Rural.

Limpeza do local de armazenamento

O galpão de armazenamento deve ser limpo com frequência, evitando o acúmulo de sujeira.

A limpeza deve ser realizada antes das sementes chegarem e durante todo o período em que elas ficarem armazenadas no galpão, a fim de evitar insetos e roedores.

Pragas de armazenamento – gorgulho do milho. Fonte: Beefpoint.

Resumindo, algumas dicas para o armazenamento de sementes:

  • armazene as sementes em galpão ventilado;
  • utilize estrados de madeira para não ter contato com o chão;
  • não empilhe as sacas de sementes na parede do galpão;
  • a umidade relativa do ar não deve ficar acima de 70%;
  • mantenha a temperatura até 25°C;
  • manter o galpão limpo, livre de insetos e roedores;
  • não armazene as sementes junto com outros insumos como calcário, fertilizantes e defensivos agrícolas.

Conclusão

No texto de hoje mostrei alguns pontos importantes na hora da escolha da semente.

Para a melhor escolha avalie produtividade, ciclo, ZARC e biotecnologia.

Os boletins informativos das cultivares, as visitas técnicas e o ZARC ajudam a escolher a melhor cultivar para a sua propriedade.

Além de avaliar a germinação e vigor da semente, o armazenamento também é fundamental para manter a qualidade da semente e reduzir a velocidade de deterioração.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre como escolher a melhor semente para a próxima safra? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Giraldeli. Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar), Doutora em Fitotecnia (USP) e especialista em Agronegócios. Atualmente Professora da Colaboradora na UEL.

Para ver mais artigos como esse acesse Conecta Sementes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *